‘Vítima das suas próprias palavras’, afirma senador sobre jornalista sequestrado

Na última terça-feira (27) o senador Telmário Mota (PROS-RR) falou por meio de áudios no WhatsApp sobre o sequestro do jornalista Romano dos Anjos da TV Imperial foi “vítima das suas próprias palavras”.

“Quanto à vida dele, é claro que eu quero, peço a Deus que salve, mas dizer ‘não, ele é gente boa’? Não, ele é mau caráter. Para mim, se o cabra não presta, pode até morrer, não vou dizer ‘ah, coitadinho, morreu’. Não. Se não presta, não presta. Acabou”, disse o senador em umas dos áudios.

Explicação

Após a divulgação dos áudios e da repercussão que suas falas geraram o senador buscou explicar suas intenções dizendo que apenas estava afirmando que caso o jornalista morresse antes de ser resgatado, “continuaria a dizer que ele não presta”. “Não é porque ele morreu que eu vou dizer que ele é bom, não. Isso que eu disse. Eu não disse ‘ah, ele não presta, pode morrer’”, afirmou o senador.

Relação

O senador havia tido atritos com o jornalista antes dele ser sequestrado. O senador é investigado pela mesma operação na qual o senador Chico Rodrigues (DEM-RR) foi flagrado com dinheiro na cueca. Segundo Telmário ele seria inocente apesar do jornalista buscar associá-lo com o caso ao longo da semana em que o fato foi noticiado. “A semana inteira tentou induzir que participei de roubo na saúde. Aí vou ficar de hipocrisia? Para mim ele é um indivíduo mau caráter, bandido, deve estar sendo vítima das suas próprias palavras. Se de fato ele foi sequestrado que deus tenha pena dele e salve a vida dele, mas não sou hipócrita”, disse.

Mostre mais
Fechar